As vozes das mulheres em situações de conflito

Ugandan women celebrate hope through the help received at a legal aid clinic in Kawempe which raises public awareness and protects the legal rights of people affected by HIV/AIDS. The clinic is run by Plan Uganda with assistance from Australia.  Photo: Kate Holt/Africa Practice  To request copyright use and access to hi-res versions of this photo, contact the owner/organisation of this photograph.
Ugandan women celebrate hope through the help received at a legal aid clinic in Kawempe which raises public awareness and protects the legal rights of people affected by HIV/AIDS. The clinic is run by Plan Uganda with assistance from Australia. Photo: Kate Holt/Africa Practice To request copyright use and access to hi-res versions of this photo, contact the owner/organisation of this photograph.

Como os homens e as mulheres diferem na experiência de conflito e contribuições para a construção da paz

Fazendo todos os vozes Count: CoP Reunião

Beneficiários do Fazendo todas as vozes Contagem reuniu pela Comunidade de Prática regular de reuniões para compartilhar suas experiências e conclusões sobre os diferentes projetos que estão trabalhando e identificando alguns dos desafios que os parceiros são confrontados com e tentando encontrar um caminho a seguir.

A Comunidade de Prática engajamento focado em grupos de gênero e marginalizadas contra o quadro de envolvimento do cidadão-governo. Esta foi uma discussão sobre como parceiros lidou com esse problema, compartilhando suas experiências e desafios que eles têm enfrentado em seus projetos.

O Centro de Apoio AÇÃO fez uma breve apresentação sobre os projetos de pesquisa MAVC, compartilhando experiências de Uganda, Zanzibar e Joanesburgo. Como parte do projeto, a pesquisa foi realizada em Uganda, Zanzibar e de Joanesburgo sobre o papel da tecnologia em alerta precoce e do grau em que ele pode melhorar a participação dos cidadãos.

ASC abraça uma abordagem de gênero para a Transformação de Conflitos em todo o trabalho que fazemos. Esta opinião é corroborada pelas idéias que o conflito afeta homens e mulheres de forma diferente. Isto é principalmente devido às suas diferentes funções e responsabilidades na família, comunidade e nível nacional. A perspectiva de gênero é, portanto, muito importante, uma vez que homens e mulheres tendem a ter diferentes perspectivas sobre um conflito em particular e podem ter interesses concorrentes, portanto, ambas as análises são muito crucial.

Homens e mulheres também têm diferentes contribuições a fazer para responder a e se engajar com o conflito. É por isso que é importante ter certeza de que as vozes daqueles que normalmente são deixados de fora também são ouvidas. As vozes das mulheres, as crianças e os jovens são tão crucial quanto as vozes de qualquer outra pessoa na comunidade. Na pesquisa que ASC realizou todos estes aspectos têm sido postas em consideração ao avaliar o impacto de um conflito e identificar estratégias apropriadas para ação e possíveis grupos e atores para ligações com ou apoio.

No entanto, a sociedade patriarcal favorece os homens e prejudica a participação das mulheres. Este é um dos desafios que, por vezes, impede o progresso, como as mulheres, por vezes, não são dadas espaço para expor seus pontos de vista.

A partir da pesquisa realizada descobriu-se que as mulheres têm desafios específicos que afectam a sua participação; por exemplo, participando de treinamentos e workshops. ASC conseguiu organizar treinamentos e workshops que visam capacitar as mulheres e proporcionar-lhes competências que permitam uma contribuição mais confiante para diálogos e resolução de problemas. Como resultado, encontrando os papéis e as contribuições complementares é fundamental para estratégias eficazes.

X