Toda a África pertence a todos os africanos

Africaunite

Imbizo anti-xenofobia

No dia 7 de Maio de 2015, alguns membros da equipe do Centro de Suporte AÇÃO participaram da Campanha Anti-Imbizo xenófobo no Estádio Orlando, em Soweto. O evento foi organizado pelo dia do Congresso Sul-Africano de organizações sem fins lucrativos (SACONO), em colaboração com a cidade de Joanesburgo e da Província de Gauteng. O tema da campanha anti-xenófoba foi ‘Unite África e Construção da África Queremos direção 2063’.

O evento foi expulso com música e um espetáculo de dança, antes de a atenção voltou-se para as questões em causa. A discussão foi iniciada por um painel multinacional formado por representantes de diversas organizações e instituições, tais como-Africano Diáspora, dos Assuntos Internos, Conselho de Igrejas, Departamento de Desenvolvimento Social, CORMSA, entre outros-que mensagens de solidariedade e unidade compartilhados. Suas vozes se juntaram a membros do público e outras organizações que tomaram a oportunidade de expressar os seus pensamentos para o público.

A discussão abrangeu questões de educação, intercâmbio cultural e pan-africanismo, os direitos humanos, a Constituição Sul-Africano, e as preocupações econômicas, como a independência financeira e desemprego. Tintswalo Makhubele, uma das cadeiras do evento, enfatizou a importância da educação e da união para realizar a transformação. Outro ponto levantado pelos oradores foi a importância da integração dos migrantes e de intercâmbio cultural. Desde resistência parece ser em ambos os lados, dizia-se que a integração é um diálogo de duas vias para que ambos os sul-africanos e os migrantes devem ser abertos e comprometidos com o aprendizado de um outro, abraçando a unidade do ser Africano e compartilhando do mesmo continente.

Embora as mensagens de unidade e solidariedade são importantes, também é vital que nós vivemos por esses valores que pretendem defender-do modo como interagimos uns com os outros para nossos pensamentos interiores. O evento trouxe à luz a necessidade de as organizações responsáveis ​​por tais eventos a prestar especial atenção à garantia de que a linguagem, serviços e envolvimento da comunidade é abordada de forma inclusiva e capacitação, a fim de evitar contradições e uma maior fragmentação. Com essa abordagem, cada um de nós se torna um veículo para a solidariedade e unidade, em vez de tais valores restantes um sonho distante.

X